Vírus é capaz de alterar boletos gerados na web e desviar os Pagamentos

 

O site Linha Defensiva, especializado em segurança, alerta para o perigo de uma nova e inteligente praga virtual no Brasil. Em publicação do dia 15, o portal revela que o malware é capaz de alterar a numeração da linha digitável de boletos bancários acessados pelos navegadores, desviando o destino de pagamento.

Como funciona?

A fraude foi muito bem planejada pelos criminosos. Primeiramente, o vírus verifica a presença de softwares de segurança dos bancos e tenta removê-los. Como se isso não bastasse, o invasor desabilita o firewall do sistema operacional, efetua uma cópia de si mesmo com um nome qualquer e configura esse “desmembramento” para ser iniciado junto com a inicialização do computador.

Depois de se infiltrar no SO, a praga permanece monitorando as atividades realizadas no PC e detecta quando um boleto é aberto no browser. Ao perceber esse tipo de atividade, ele altera a numeração do documento e corrompe o código de barras, obrigando que a transação seja efetuada pelo primeiro recurso — o qual foi alterado para encaminhar o pagamento para uma conta fraudulenta.

Dessa forma, o grande problema é que mesmo ao imprimir o boleto você não escapará do golpe. Assim, até mesmo quem não utiliza o internet banking está suscetível a cair nessa armadilha. Na galeria de imagens abaixo, você pode conferir exemplos de boletos maliciosos.

Aprenda a se defender

A nova linha digitável aplicada pelo vírus não altera os dados legíveis do boleto, como valores, datas de vencimento ou nomes e logos dos bancos, dificultando a percepção da fraude. Além disso, o golpe não funciona a partir de um site ou navegador específico, o que permite a praga atuar com documentos de pagamento gerados a partir de qualquer instituição financeira.

Para se defender dessa ameaça e identificá-la o mais rápido possível, o Linha Defensiva fornece algumas dicas importantes:

  • Ao ser corrompido, o código de barras fica com espaços em branco. Esses buracos são os responsáveis pelo erro de leitura pelos caixas eletrônicos ou aplicativos baseados no QR Code, por exemplo;
  • As numerações modificadas das linhas digitáveis dos documentos são sempre parecidas. Assim, se ao emitir mais de um boleto você perceber um número muito similar, abra o olho;
  • Por fim, os logos dos bancos nem sempre correspondem aos seu correto código de identificação.

É importante ressaltar que boletos de qualquer banco podem ser alterados pelo vírus, e que o número da linha digitável muda conforme as contas bancárias que estiverem sob o controle dos responsáveis pelo golpe. Não tente identificar uma fraude pelo número da linha digitável alterada ou pelo banco emissor. No caso de dúvidas, entre em contato com a empresa cedente do boleto – não com o banco – e compare a linha digitável completa do boleto pago com o fornecido pela empresa. Caso seja confirmada a fraude, procure a polícia para realizar um boletim de ocorrência e entre em contato com o local de pagamento do boleto para verificar possíveis maneiras de revertê-lo.

[Fonte] Veja a matéria completa clicando aqui.

Ricardo Soares

CCO - SkyHost Web Hosting Services | www.skyhost.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *