E-commerce ou Marketplace: qual é mais vantajoso para o seu site?

Comprar e vender na web é uma preferência cada vez mais comum entre as pessoas. Não é à toa que até 2021, as vendas pela internet devem duplicar, de acordo com uma pesquisa do Google. Segundo a empresa, a expectativa é de que o faturamento chegue a casa dos R$85 bilhões neste segmento.

Neste cenário, qual é a melhor plataforma para vender um serviço? Como atrair mais clientes que se interessam por alguns itens? Investir na criação de lojas virtuais tem sido uma alternativa para muitas pessoas.

Como a internet é um grande shopping online, formas de vender não faltam. O e-commerce e o marketplace são duas modalidades muito comuns neste contexto. Para serviços ou compra de acessórios indispensáveis na área comercial, como uma máquina de ponto eletrônico, a diversidade reina no comércio virtual. Diante disto, basta descobrir qual é o formato mais eficiente para fazer o seu negócio bombar.

Marketplace: um mercado online

Um grande shopping virtual. Resumidamente, é assim que o conceito de marketplace pode ser definido. Pode-se encontrar desde ferramentas usadas para a indústria de móveis e calçados, até dispositivos eletrônicos e eletrodomésticos. As possibilidades de venda são amplas.

A grande diferença entre um e-commerce e um marketplace é justamente essa variedade para o consumidor. Enquanto uma loja virtual geralmente é exclusiva de um site, essa nova opção permite que o cliente consiga “passear” no shopping e fazer as compras em um único carrinho. Ou seja, o internauta pode comprar instrumentos musicais, roupas, calçados e ferramentas de uma única vez e pagar tudo no final.

Mas quais são as vantagens de investir nessa modalidade? Vale a pena para todos os sites? Para te ajudar, listamos alguns benefícios de investir no marketplace:

  • A visibilidade para as empresas pode ser maior, dependendo da plataforma;
  • O sistema faz a divisão automática do valor dos pedidos;
  • O consumidor tem mais opções para comprar com diversos vendedores;
  • Cada lojista consegue interagir com o cliente de forma individual;

Por outro lado, há quem acredite que o marketplace pode não ser a melhor estratégia para todos os tipos de negócio. Um exemplo prático é que nas lojas personalizadas, o posicionamento da marca fica muito mais claro, enquanto o marketplace é o espaço onde as pessoas compram vários produtos.

Outro erro é quando a empresa deixa de ter um canal de vendas próprio para usar exclusivamente a plataforma. Isso não só torna a marca genérica, como limita as possibilidades de fechar negócio.

E-commerce: personalização e praticidade

Como o próprio nome sugere, um e-commerce é um conceito que faz referência ao comércio eletrônico. O formato mais comum é a loja virtual. Na prática, uma loja virtual pode ser integrada ao site do cliente e se torna uma vitrine. Além de produtos de rotina, há quem venda, inclusive, kits para instalação de câmeras de segurança, por exemplo.

Há muitas vantagens de apostar neste tipo de recurso, sendo que as principais são:

  • Praticidade e comodidade para quem compra;
  • Condições de pagamento facilitadas;
  • Frete seguro;
  • Ambiente personalizado para as vendas da marca;

As agências de marketing costumam prestar o serviço de construção de um e-commerce já com a hospedagem segura. Para potencializar as vendas, o uso de técnicas de marketing digital, como a otimização em SEO e um layout personalizado, faz a diferença.

E-commerce ou Marketplace?

Não existe uma receita exata para dizer qual é a plataforma que vai dar mais resultado no seu site. Mas, contratar uma consultoria de marketing para fazer a análise do seu negócio é uma boa maneira de começar. Para quem tem produtos específicos, como um grampeador de madeira ou serviços especializados, um e-commerce pode ser uma excelente estratégia por ser algo mais personalizado.

No entanto, o marketplace é uma boa forma de aumentar a visibilidade, com um investimento inicial menor – o que atrai quem está começando a empreender.

Tudo depende do produto a ser vendido, das condições de pagamento, do formato do frete, da hospedagem do site e do nicho do negócio. Mas, quando se trata de vendas na internet, uma técnica pode complementar a outra, já que a web pode atrair diferentes perfis de consumidores.

Igor Maurício

CCO - SkyHost Web Hosting Services | Sou um desenvolvedor apaixonado por programação e automatização de processos. Também amante de idiomas, que já vivenciou inúmeras aventuras em diversas línguas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *